Destino Quênia: dicas para programar a sua viagem Postado em: Africa, Blog, Viagem – Tags: , , ,

Poucos lugares proporcionam a oportunidade extraordinária de ver animais selvagens como o Quênia, em seu habitat natural.

Ele merece sua reputação como um excelente destino de safári na África Oriental e é muito difícil determinar a melhor rota ou por onde começar sua viagem no País.

São tantos encantos e destinos que competem entre si. Escolha o alvo, prepare a câmera e o coração!

Esta grande variedade de ecossistema significa que há muito para explorar e provavelmente há um grande número de espécies raras que você só pode conhecer no Quênia.

Se você é um apaixonado por animais e entusiasta da vida selvagem, este é o lugar certo para suas próximas férias: essa viagem possibilitará assistir ao incrível fenômeno conhecido como a Grande Migração e observar milhares de animais cruzarem a savana em busca de abrigo e comida, conhecer muitos pássaros raros ou mergulhar nas águas profundas do Oceano Índico, desfrutando deste belo paraíso marítimo.

Acompanhe a leitura a seguir e saiba mais sobre esse país encantador!

Sobre a história do Quênia

Somente na penúltima década do século XIX a África se dividiu em áreas de interesse nas quais o Quênia estava sob os auspícios britânicos. A política do poder colonial era evitar contatos intertribais. Em 1952, o movimento lançou uma luta contra os colonos da região serrana, uma revolta conhecida como “Mau Mau”. O governo colonial anunciou estado de emergência.

As tropas coloniais prenderam milhares de Kikuyus e os prenderam em reservas fortemente vigiadas, enquanto Jomo Kenyatta foi capturado e aprisionado no deserto do norte.

A resistência armada foi superada, mas a era colonial acabou. No mesmo ano de 1960, mais de 800.000 lotes foram oferecidos para compra a africanos evacuados de lá. Jomo Kenyatta voltou do exílio para assumir o KANU, o partido nacionalista predominantemente Kikuyu.

Por fim, em 1963, a Grã-Bretanha deu sua independência e a República foi adotada como forma de governo. Jomo Kenyatta virou presidente, cargo que ocupou de forma um pouco ditatorial até sua morte em 1978. A era pós-colonial foi marcada pela evolução econômica e política, bem como por uma nítida africanização da vida social e das instituições. O Quênia desenvolveu uma economia mista de propriedade estatal e privada, principalmente em setores como bancos, petróleo e energia.

Em dezembro de 2008, as eleições foram realizadas no Quênia, que originaram um governo de coalizão no qual Kibaki assumiu como presidente e Raila se tornou o único país africano a ter tal governo.

Como ir para o Quênia?

O Quênia conta com três aeroportos internacionais: o Moi – em Mombasa, Jomo Kenyatta – em Nairobi e também o Eldoret International Airport.

O Jomo Kenyatta recebe mais de 30 companhias aéreas, ligando o país com as principais capitais da Ásia,  África, Oriente Médio e Europa. Saindo de São Paulo, a Cia. Aérea South African Airways voa até a capital Nairobi com parada na cidade sul africana de Joanesburgo (tempo de voo aproximadamente 4 horas).

Transporte no Quênia

As situações das estradas variam muito ​​e podem ser muito ruins em áreas remotas. Dirigir à noite, em grande parte das áreas, não é aconselhável. Nos locais turísticos, as bicicletas estão disponíveis para aluguel por um dia inteiro ou meio período. Esta é uma boa tática para conhecer algumas das áreas.

Em Nairóbi, Mombaça e outras grandes cidades, os táxis são muito baratos, muitas vezes estacionados em torno de hotéis e resorts turísticos.

Qual a melhor época para visitar o Quênia?

A época de chuva acontece entre os meses de março, abril e maio. Deste modo, é aconselhável fazer a viagem entre junho e fevereiro.

Visitar a região na época da seca, entre julho e setembro, é o ideal.

A enorme migração de animais do Serengeti para o Masai Mara ocorre de julho até outubro ou meados de novembro. Entre dezembro e março, o sentido da migração é contrário – do Masai Mara para o Serengeti ; sendo também um bom período para os safáris.

Isto se dá devido à sua altitude média de mais de 1.000 metros sobre o nível do mar.

Como é se alimentar no Quênia?

A grande fartura de produtos naturais do Quênia, aliada a rica variedade de culturas, criou uma grande tradição culinária.

O solo vulcânico fértil do Vale do Rift produz vegetais frescos, enquanto a costa é uma excelente fonte de frutos do mar frescos e frutas tropicais. A costa também abriga a culinária “suaíli”, uma mistura de sabores da África e do Oriente Médio. Na região do interior, os quenianos são grandes apreciadores de carne. Uma das particularidades mais conhecidas é o “Nyama Choma”.

O truque é conhecer os famosos “Joints Choma”, muito encontrados em todas as cidades quenianas, já que são restaurantes que servem esta especialidade. A carne é normalmente feita em fogo de lenha ou carvão e servida com uma mistura de vegetais e “Ugali”. 

A carne de frango tem preço superior, por isso a população opta por pratos de arroz e carne. Para os vegetarianos, os paquistaneses e imigrantes indianos trouxeram uma grande variedade de pratos ao país. As castanhas também fazem parte de muitos alimentos.

Como se vestir no Quênia?

cultura-quenia-africa

Em lodges e acampamentos nas partes mais altas, sobretudo ao redor do Monte Quênia, o clima é bem mais frio na parte da noite, por isso, é fundamental levar agasalhos (a temperatura é variável de 12 a 27 oC nos lugares mais altos).

Já para ir nos safáris, opte por roupas neutras, de cor verde ou cáqui, por exemplo.

Música e artesanatos no Quênia

A música queniana tem sua ascendência a partir de muitas rapizes:

  • percussão Chuka e Kamba;
  • danças e cantos de tribos nômades (de caça e cerimoniais);
  • grande variedade de tambores utilizados por todo o país;
  • chifres longos, assobios, sinos;
  • instrumentos de cordas e flautas de junco;

A expressão artística na África representa costumes e usos das tribos africanas, através de máscaras, esculturas e pinturas produzidas em diversos materiais.

O artesanato do Quênia é diversificado conforme a região: estampas em batik (desenhos a base de cera quente em tecido tingido), pulseiras Masai e esculturas de madeira.

É permitido fotografar no País?

Não é permitido fotografar aeroportos, prédios e instalações militares. É preciso pedir autorização antes de fotografar qualquer pessoa, especialmente membros das tribos “masai” e “samburu”, assim como os seus rebanhos.

Paisagens e animais podem ser fotografados!

E aí, pronto para embarcar nessa aventura?

Gostou de conhecer detalhes sobre o destino Quênia? Veja na Loja Lugg o acessório ideal para te ajudar em suas viagens!